flor    NÃO SOMOS MENDIGOS

 

Fomos ensinados a sentir-nos como vítimas, a agir como vítimas e a educar os nossos filhos como vítimas. Por isso mendigamos perdões, acreditamos que os deuses gostam de dinheiro e trocamos absolvições por moedas, sendo seduzidos pela riqueza dos que pensamos estarem mais perto do céu do que nós, enquanto seguimos preconceitos e julgamentos que nos cortam as asas, para deixarmos de voar como a águia, ciscando o chão como a galinha.
        Será que os grandes pintores da História, os grandes arquitetos, escultores, escritores, músicos, filósofos, cientistas, atletas, não eram feitos da mesma matéria? A matéria de que eles eram feitos é a mesma que constitui os nossos corpos, genes, ossos e mentes. Todos somos a águia que pode tão livremente voar. Então por que continuamos mendigando e apanhando as migalhas que caem da mesa dos outros?
        Ser vítima não passa de um hábito. É um hábito que assimilamos lentamente desde a infância. Como ser humano você é um ser cósmico, como indivíduo você tem o poder do cosmos, como ser espiritual - porque em você reside o espírito divino - pode descobrir que não tem limites. O seu intelecto é o caminho para o espírito e se souber dirigi-lo é aí que encontra o tesouro do seu arco íris. Assim como somos um pouco de tudo também somos um pouco da eternidade. Não mendigue os néctares que são seus, procure-os dentro de si e se sinta amado, numa participação cósmica e humana onde as suas inatas capacidades o ajudarão a atingir as certezas e objetivos para os quais nasceu.

 

PALESTRAS