flor    ILUSÕES, DESTINO, SORTE E OBJETIVOS

 

Antes de falar de sorte e objetivos ajudo a compreender e interiorizar uma coisa que em todos os momentos de nossas vidas é preciso ter muito claro: a diferença entre destino e sorte. O destino só existe em coisas impossíveis de mudar, como a estrutura básica do nosso corpo, o movimento dos astros ou a sucessão das estações do ano. Sorte, o que muitos confundem com destino por crerem que sorte são acontecimentos predeterminados, é na realidade uma sucessão de acontecimentos que qualquer um de nós pode modificar, porque todos somos lavradores da nossa vida: o que semeamos é o que colhemos e aquilo a que chamamos sorte depende da maneira como pensamos, dirigimos a nossa vida e das escolhas que fazemos. Precisamos saber o que devemos semear, ter objetivos e acreditar nos resultados. Para criar objetivos, rumos ou metas, as razões terão de ser válidas, e justificáveis, isto porque nossos objetivos embora devam ser criados debaixo do reconhecimento das nossas enormes capacidades, também terão de ser realistas e inteligentes, nos permitindo antever até que ponto esses objetivos nos podem estimular para atuar em sua função. É preciso entender a grande diferença entre objetivos e ilusões ou a realização do último objetivo e a realização contínua. O conceito de uma realização final, ou a idéia de que a única realização é atingir o objetivo, é uma concepção linear da existência que induz a não procurar realizações no caminho do alvo. Nenhuma experiência é final, porque o objetivo da vida é compreender que cada instante é um ponto de partida.

PALESTRAS